Deputada Cassia Muleta Apoia Outubro Rosa e destaca campanha Doe Lenços

A deputada estadual Cassia Muleta estará apoiando diversos eventos do Outubro Rosa, movimento que dá visibilidade pública à luta contra o câncer de mama.

De acordo com o INCA, o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. É o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Segundo especialistas, as chances de cura aumentam em até 90% quando o diagnóstico é precoce. Mas isso depende da iniciativa de cada mulher em procurar um médico para fazer os exames preventivos. O Ministério da Saúde orienta que todas as mulheres acima dos 40 anos precisam passar pela mamografia pelo menos uma vez ao ano. Daí a importância e o peso de campanhas como o Outubro Rosa.

“Assim como aconteceu nos últimos anos, tenho certeza que a Assembléia Legislativa de Rondônia dará sua parcela de contribuição a essa campanha por meio de diversas ações durante o mês. Trata-se de um gesto da maior relevância. Mais do que iluminar monumentos e enfeitar espaços públicos e privados, o mês de outubro é oportunidade para refletir e por em prática ações, como prevenção, motivação, incentivos a pesquisa e tratamento efetivo do câncer de mama”, disse Cassia Muleta.

Campanha Doe Lenço

Uma das grandes apoiadoras da campanha a deputada Cassia Muleta destacou que a Campanha Doe Lenço dá visibilidade ao câncer de mama, sobretudo com relação à prevenção. “É uma ação que incentiva as campanhas de prevenção quanto o câncer de mama. Além disso, é um ato de solidariedade humana ao dar um alento a mulheres que enfrentam queda de cabelo por conta do tratamento”, afirmou.

“É muito bom poder ajudar as pessoas. Apesar de ser um gesto pequeno, ele é muito grande para quem precisa. Nós, mulheres principalmente, devemos sempre tentar ajudar a próxima. O câncer é uma doença avassaladora e que deixa muitas sequelas, logo é preciso facilitar o processo de cura da pessoa”, comentou a parlamentar.

CÂNCER DE MAMA – O câncer de mama é uma doença grave, mas que pode ser curada. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será curá-lo.

Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de um centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%, segundo a Femama. Quanto maior o tumor, menor a probabilidade de vencer a doença, por isso a detecção precoce é uma estratégia fundamental.

No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.

Por: Povo em Alerta

- Advertisement -
spot_img

Mais notícias +