today-is-a-good-day





Terça-feira, 05 de março de 2024




Maioria dos municípios de Rondônia estão em surto de dengue, aponta boletim

Striped mosquitoes are eating blood on human skin. Mosquitoes are carriers of dengue fever and malaria.Dengue fever is very widespread during the rainy season.

Cerca de 40 municípios de Rondônia estão em surto de dengue e outras 10 cidades encontram-se em alertas para a doença, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa).

No total, foram confirmados 276 casos de dengue, 1 de Chikungunya e 1 de Zika Vírus em janeiro de 2024 (até o dia 26). Estão em alerta os seguintes municípios:

  • Alto Paraíso;
  • Buritis;
  • Costa Marques;
  • Gov. Jorge Teixeira;
  • Machadinho d’Oeste;
  • Nova União;
  • Porto Velho;
  • Teixeirópolis;
  • Urupá

Apesar dos casos em alta neste ano, houve uma redução em relação ao mesmo período de 2023, quando foram registrados 2875 casos e sete mortes causadas pela doença em Rondônia, de acordo com a Agevisa.

Veja os municípios em surto de dengue:

  • Alta Floresta d’Oeste;
  • Alto Alegre dos Parecis, Alvorada d’Oeste;
  • Ariquemes;
  • Cabix;
  • Cacaulândia;
  • Cacoal;
  • Campo Novo de Rondônia;
  • Candeias do Jamari;
  • Cerejeiras, Chupinguaia;
  • Colorado do Oeste;
  • Corumbiara;
  • Cujubim;
  • Espigão d’Oeste;
  • Guajará-Mirim;
  • Itapuã do Oeste;
  • Jaru;
  • Ji-Paraná;
  • Ministro Andreazza;
  • Mirante da Serra;
  • Monte Negro;
  • Nova Brasilandia;
  • Nova Mamoré;
  • Novo Horizonte do Oeste;
  • Parecis;
  • Pimenta Bueno;
  • Pimenteiras do Oeste;
  • Presidente Médici;
  • Primavera de Rondônia;
  • Rio Crespo;
  • Rolim de Moura;
  • Santa Luzia d’Oeste;
  • São Felipe d’Oeste;
  • São Francisco do Guaporé;
  • Seringueiras;
  • Theobroma;
  • Vale do Anari;
  • Vale do Paraíso;
  • Vilhena

De acordo com o Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti (LIRAa/LIA), entre os principais locais que servem como criadouros do mosquito no estado estão: caixas d’água, pequenos depósitos móveis, depósitos fixos, pneus, recipientes plásticos, latas, sucatas, entulhos e depósitos naturais.

Portanto, não deixar água parada em recipientes e manter ambientes limpos dentro e fora de casa, principalmente no período de chuvas, é importante para prevenir a proliferação do mosquito transmissor da doença. Além disso, a população deve evitar deixar o lixo a céu aberto para evitar o acúmulo de água.

Atenção aos sintomas

É recomendando que o morador procure uma unidade de saúde, caso apresente os seguintes sintomas:

  • Febre alta, de 39 °C a 40 °C, de início abrupto;
  • Dor de cabeça;
  • Fraqueza;
  • Dores no corpo;
  • Dores nas articulações;
  • Dor no fundo dos olhos.

O órgão alerta ainda que a ocorrência de óbitos e casos graves deve ser comunicada à coordenação estadual em até 24 horas, para o monitoramento e análise das informações epidemiológicas e vetorial para divulgação da situação.


spot_img


Pular para a barra de ferramentas