Rondônia,  às 19:34:05- Email: [email protected] - Telefone: 69 9 9284-5099.




Orquestra em Ação completa 18 de atividades em Ji-Paraná



Idealizada e criada em 1º de outubro do ano de 2003, a Associação de Amigos da Orquestra (AAO), que mantém o projeto ‘Orquestra em Ação – O Tom da Mudança’, chega aos seus 18 anos de existência somando mais de 14 mil alunos com passagem pela a instituição e com muitos deles já seguindo seu próprio caminho no mundo da música.  

 Neste período, a entidade conquistou diversos reconhecimentos, entre eles o do projeto “Criança Esperança”, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em parceria com a Rede Globo de Televisão. A entidade fica situada em anexo à Escola Estadual José Francisco, no bairro Dom Bosco, primeiro distrito de Ji-Paraná. 

Todas as aulas são gratuitas para crianças e jovens adolescentes

Inicio 

 De acordo com uma das coordenadoras do projeto, Solange Gurgacz, a AAO, surgiu de um desejo dela com o esposo, Airton Gurgacz, que levou a ideia a vários amigos, entre os quais, Ana Lúcia, Maria Aparecida (Cida) e Isnaldo Santos. No começo, a Escola de Música do Projeto em Ação ofertava aulas de Flauta Doce e, aos poucos, foi ampliando esse leque. 

 Segundo Solange Gurgacz, todas as aulas são gratuitas para crianças e jovens adolescentes, especialmente de baixa renda e, assim, eles têm o acesso à cultura, além da produção cultural e formação profissional.  “Muitos dos nossos alunos já estão trabalhando, até mesmo fora do Estado, o que nos gratifica muito”, declarou.  

 Nos primeiros meses o número de alunos atendidos ficava entre 40 e 60 alunos, e atualmente, passa de 400, mas, devido a pandemia da Covid-19, são atendidos atualmente 200 estudantes. 

 Nesses 18 anos de existências, o projeto ‘Orquestra em Ação’ já realizou inúmeras apresentações no município e em muitas outras cidades do Estado, como Ouro Preto, Alvorada, Cacoal, Vilhena e até mesmo na Capital Porto Velho.  

 “A nossa gratidão é muito forte por todos os nossos parceiros, diretoria, professores, artistas locais, o apoio da escola José Francisco e todos que por aqui passaram”. Ela também lembrou das pessoas que já não estão presentes, como a filha Nathália Gurgacz, Leila Barreiros que leva o nome do auditório. 

  Criança Esperança 

 Entre tantos reconhecimentos do trabalho social da Associação de Amigos da Orquestra, através do projeto ‘Orquestra em Ação’, um deles é visto como um dos mais importantes, que foi feito pelo projeto ‘Criança Esperança’ da Unicef e apresentado todos os anos pela Rede Globo de Televisão. Na época, o programa aprovou quatro projetos, sendo que a ‘Orquestra em Ação’, foi citada como o mais importante trabalho social desenvolvido em Ji-Paraná. A entidade também é um Ponto de Cultura, considerado muito importante no Estado. Solange Gurgacz resumiu os 18 anos da entidade com a palavra “Amor”. Para ela “tudo se que faz com amor verdadeiro, dá certo”. 

 Alternativa criada 

 “Eu tinha um futuro incerto”, essa foi a afirmativa da jovem Priscila Gonçalves Carneiro ao falar dos 18 anos de existência do projeto. Rita, como é mais conhecida, chegou ao projeto há 11 anos, e hoje, além de aluna, ela também é secretária e amiga da instituição social. 

 Segundo ela, antes da orquestra vivia a vida conforme a “música tocava”, sem expectativa de futuro, era menor de 15 anos, e ainda sem trabalho.  

“Aqui foi que consegui iniciar a faculdade de administração de empresas, graças a todos dessa entidade, e hoje me sinto completamente transformada”, afirmou.  

Wendeon França, maestro

Gratidão 

 Quem declarou a sua gratidão pelo projeto ‘Orquestra em Ação’, foi o professor e maestro, Wendeon França. Convivendo há 14 anos, dos 18 anos de existência da instituição, se disse apaixonado pelo trabalho que visa a transformação social de crianças e jovens adolescentes. 

 O maestro é um dos iniciadores das ações do projeto, morou em outros estados, e no seu retorno recebeu o convite da direção para integrar a equipe no ano de 2007. “Comecei com o projeto ‘Violino Mágico’ dentro de uma sala com sete violinos, uma viola e um violoncelo, atendendo em média de 80 a 100 anos, todos de famílias carentes”, relembrou. “Tenho gratidão pelo projeto e pela possibilidade dada de poder trabalhar e de ser regente da orquestra”, agradeceu.   

 Futuro   

Nesta sexta-feira (01), dia de comemoração aos 18 anos da Orquestra, Leni Alves mãe de Matheus Alves, de 12 anos, declarou ter conhecido o projeto através de uma amiga e logo conseguiu fazer a matrícula dele. “Acredito que a música seja um diferencial na vida dessas crianças”.  

 Matheus faz aulas de violoncelo, uma escolha da mãe que vê no filho um futuro promissor no mundo dos instrumentos musicais.

Paixão 

Airton Gurgacz, ex-presidente e voluntário da Associação

“Esses 18 anos da entidade, se transformou em uma paixão para todos nós”. Essas foram as palavras do ex-presidente e voluntário da Associação, Airton Gurgacz. Para ele, ver tantos jovens já adultos e que a formação se deu através da Escola de Música, é muito gratificante. “Não é fácil manter uma entidade desse porte. É preciso ter pessoas apaixonadas, parceiros verdadeiros que acreditam nesse trabalho social. Hoje, precisamos comemorar de verdade e pedir muito mais anos de existência para que se possibilite inúmeros futuros jovens adolescentes a trilhar pelo caminho certo da vida”. Ele concluiu parabenizando a diretoria, colaboradores, professores, alunos e, especialmente as famílias que confiam no trabalho social desenvolvido pela a entidade. 

Por J. Nogueira

+ Notícias


Posting....